segunda-feira, 29 de julho de 2013

A ENTREVISTA DE DILMA DEVERIA IR PARA A CESTA. A CESTA DO LIXO.- Artigo de Jorge Oliveira



A entrevista da Dilma à colunista Mônica Bergamo deveria ir para a cesta. No jargão jornalístico: cesta do lixo. Irônica e o todo tempo tentando subestimar o questionamento da repórter, tratando-a sempre de “minha querida”, Dilma não respondeu nada do que o brasileiro espera de seu presidente nesse momento de convulsão social, de rebeliões e manifestações generalizadas que geram tensão e instabilidade às instituições brasileiras. O fim da entrevista então é hilariante: “Gente, preciso ir. Estou tontinha da silva”, diz para encerrar a conversa e fugir da saraivada de perguntas da jornalista. Dilma mostrava-se cansada, isolada, enfadada – deselegante, inclusive - como se o mandato estivesse acabando ali, naquele momento.

É assim que o petê melancolicamente começa a botar a viola no saco a um ano e poucos meses das eleições. Uma presidente dizendo que não fará reformas, que manterá o Mantega, que não reduzirá o número de ministérios, que nega a estagnação da economia, a alta da inflação, a crise dentro do seu próprio partido. Como tudo isso não bastasse, a presidente adotou o cacoete de que o Brasil foi descoberto nos últimos dez anos. A exemplo do Lula “nunca antes na história deste país..”, agora, a presidente instigada por assessores medíocres tentou convencer o Papa de que o país não existia há 10 anos atrás, antes do PT.

De toda a conversa com a presidente, louve-se as perguntas de Mônica Bergamo. O jornalista, que sempre foi o intermediário (coadjuvante) do interlocutor numa entrevista, dessa vez assumiu o papel de protagonista com as perguntas precisas e articuladas. Veja algumas delas: “A crítica é que a senhora relaxou no controle da inflação para manter o crescimento”; a senhora teria características que não contribuem para que projetos deslanchem. Seria centralizadora, autoritária”; a senhora já fez ministros chorarem com suas broncas?”; o que acha de o ministro Paulo Bernardes, das Comunicações, ser chamado por críticos de “ministro do Plim-Plim?”; a senhora sabe falar o nome dos 39 ministros?”; “o ministro Mantega está garantido no cargo?”; o modelo de crescimento pelo consumo não se esgotou?”; os empresários reclamam que a senhora não tem diálogo”; “o fato de usarem o Lula para criticá-la não a incomoda?

Foram essas perguntas diretas e certeiras que deixaram a presidente “tontinha da silva”.

Diário do Poder

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Seguidores

Arquivo do blog

LIBERDADE COMO NOSSO DOM MAIOR

Ser livre para ir e vir!Pela liberdade de expressão.Pela humanidade contra os pregadores da escuridão que assolam nosso mundo moderno.Democracia verdadeira sempre,não aquela de fachada que persegue quem não compartilha de suas idéias.