domingo, 14 de julho de 2013

O controle da História


O controle da História

Cada geração tende a acreditar que os seus objetivos são completamente originais e sem precedentes e que representam os objetivos finais da humanidade. Esta vaidade é melhor do que a indiferença para com as necessidades corriqueiras da vida que surge da convicção de que todos os objetivos são igualmente inúteis. No entanto, em uma época como a nossa, isso vem carregado de potencialidades do fanatismo.

[...]

Aqueles que aspiram a comandar a história parecem sonhar ou com eliminar a intervenção de acidentes, de grandes homens e encontros casuais, ou com a reconstrução da sociedade de acordo com um plano global e descartando a herança de tradições injustificáveis​​, ou com por fim aos conflitos que dividem a humanidade e a levam até a trágica ironia da guerra. A razão nos ensina justamente o contrário - que a política será sempre a arte da escolha irrevogável por homens falíveis em circunstâncias imprevistas e de semi-ignorância. Cada impulso para o planejamento global está fadado a acabar em tirania.

[...]

Os revolucionários imaginaram que iriam controlar, não alguns elementos apenas, mas o todo. Essa ambição Prometeica é uma das origens intelectuais do totalitarismo.

Trechos de capítulo com o mesmo título do livro "The Opium of the Intellectuals", de Raymond Aron, em tradução livre.
Rodrigo Constantino

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Seguidores

Arquivo do blog

LIBERDADE COMO NOSSO DOM MAIOR

Ser livre para ir e vir!Pela liberdade de expressão.Pela humanidade contra os pregadores da escuridão que assolam nosso mundo moderno.Democracia verdadeira sempre,não aquela de fachada que persegue quem não compartilha de suas idéias.