terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Primeiro McDonald’s do Vietnã


Primeiro McDonald’s do Vietnã causa alvoroço. Ou: O capitalismo sempre vence quando há liberdade de escolha

Fonte: Folha
Um dos países visitados pelo médico britânico Theodore Dalrymple em seu relato The Wilder Shores of Marx, que comentei aqui ontem, foi o Vietnã. Dalrymple se meteu em vilas humildes com seu guia, sujeito que já teve patente de soldado e acabou trabalhando como uma espécie de mula de turistas (isso mesmo, aquelas carroças puxadas por gente em vez de animais).
A miséria no Vietnã comunista era semelhante a dos demais países visitados, mas o autor sentiu que o povo, apesar de tudo, aparentava ser mais feliz. Ao menos o clima era menos pesado do que o da Coreia do Norte ou da Romênia, e o culto à personalidade de um grande líder era menor. Em comum, o antiamericanismo patológico, fruto de muita lavagem cerebral da propaganda enganosa oficial.
Pois bem: nada como o tempo para dobrar os mais aguerridos dinossauros. O capitalismo é cruel, pura exploração, os americanos são os demônios do mundo, todos os males derivam do lucro e da ganância. Mas quando o primeiro McDonald’s, símbolo do capitalismo americano, foi aberto no Vietnã…
A fila formada era enorme, com centenas de pessoas querendo, pela primeira vez, experimentar um Bic Mac, um quarteirão com queijo, um simples cheeseburguer. Os vietnamitas suportaram mais de uma hora de fila só para ter o prazer de experimentar um desses sanduíches. A inauguração ocorreu na antiga Saigon, atual Ho Chi Minh (mas que todos ainda chamam de Saigon mesmo).
Os comunistas e socialistas sempre sonharam em criar um “novo homem”, mas tudo que conseguiram, invariavelmente, foi produzir miséria, morte e escravidão. Os burocratas abnegados, os intelectuais ungidos, os líderes populares, todos adorariam impor suas próprias escolhas aos demais. Não suportam a liberdade de escolha individual.
O motivo é evidente: quando o povo pode escolher, escolhe McDondald’s (sim, alguns optam pelo tofu orgânico, mas são minoria). O junk food é demonizado pela esquerda caviar, que prefere lagosta e caviar, e ignora o fato de que tudo é questão de moderação (e bolso). Sim, a obesidade é um problema em alguns países. Mas convenhamos: ainda é um problema melhor do que a inanição ou a falta de liberdade de escolha, não é mesmo?
No mais, até nossos guerreiros militantes do MST, quando a fome aperta, param a revolução para bater uma boquinha… sim, nele mesmo, no símbolo do “imperialismo estadunidense”: o McDonald’s!
Revolucionários do MST descansando em uma lanchonete “comunista”
Seria tão bom se os cubanos e os norte-coreanos também pudessem ser “vítimas” do Ronald McDonald…
Rodrigo Constantino

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Seguidores

Arquivo do blog

LIBERDADE COMO NOSSO DOM MAIOR

Ser livre para ir e vir!Pela liberdade de expressão.Pela humanidade contra os pregadores da escuridão que assolam nosso mundo moderno.Democracia verdadeira sempre,não aquela de fachada que persegue quem não compartilha de suas idéias.