sábado, 15 de março de 2014

PMDB gaúcho escolhe pré-candidato ao governo contrário à aliança com o PT

Lucas Azevedo - O Estado de S. Paulo
PORTO ALEGRE - O PMDB gaúcho escolheu na tarde deste sábado o seu pré-candidato ao governo do Estado. José Ivo Sartori, ex-prefeito de Caxias do Sul, um dos principais colégios eleitorais do RS, tem apoio de uma ala que prega a independência do partido, contra a aliança nacional com o PT.
Sartori, apoiado pelo senador Pedro Simon, recebeu 994 votos, enquanto o seu concorrente, Paulo Ziulkoski, presidente da Convenção Nacional dos Municípios, ganhou 379. O seu nome será presentado à homologação em junho, na convenção estadual do partido.
A escolha ocorreu na Assembleia Legislativa gaúcha, e contou com a presença de deputados federais, estaduais, delegados dos municípios, prefeitos, vice-prefeitos, vereadores, presidentes municipais do partido e presidentes estaduais da JPMDB (Juventude), PMDB Mulher, Movimento Negro, PMDB Comunitário, PMDB Tradicionalista e PMDB Segurança.
Em seu discurso, Sartori chamou seus correligionários para uma reunificação do PMDB-RS, que preze pela transparência. "A sociedade espera de nós uma nova postura política com transparência, falando a verdade. Não adianta prometer e depois fazer como aconteceu neste governo", destacou, citando o atual governo petista de Tarso Genro.
À reportagem, o pré-candidato preferiu a cautela quando perguntado sobre a aversão a uma aliança nacional com o PT. "Por enquanto isso não está no foco do PMDB. Há muito tempo a gente já determinou que deveria liberar o partido nos municípios para fazer suas composições. Em uma primeira etapa, o foco é o RS. Numa segunda etapa, essa questão [aliança nacional] deve ser discutida. Mas, por enquanto, não existe nada."

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Seguidores

Arquivo do blog

LIBERDADE COMO NOSSO DOM MAIOR

Ser livre para ir e vir!Pela liberdade de expressão.Pela humanidade contra os pregadores da escuridão que assolam nosso mundo moderno.Democracia verdadeira sempre,não aquela de fachada que persegue quem não compartilha de suas idéias.