segunda-feira, 17 de março de 2014

PODE RECLAMAR COM O SAKAMOTO!


A deputada comunista assaltada deveria reclamar com o Sakamoto!

Fonte: Estadão
A deputada Manuela D’Ávila, assaltada recentemente, desabafou nas redes sociais contra a ironia que alguns fizeram, chegando a afirmar que ela merecia ser assaltada e que isso era apenas transferência de renda. Entendo sua revolta, mas acho que ela deveria canalizá-la para seus próprios companheiros de luta comunista. O Sakamoto, por exemplo.
Esse caricato esquerdista chegou a escrever um texto alegando que a ostentação dos ricos era responsável pelos assaltos. A coisa é tão absurda que merecia apenas ser ignorada. Não fosse o caso de Sakamoto ter espaço na mídia e desse absurdo artigo ter recebido 17 mil curtidas! Diz ele:
Não tenho medo de ser assaltado em meu carro porque não tenho carro. Não receio que levem minhas jóias ou meu relógio caro porque não tenho relógio. Não fico com pavor de entrarem na minha casa e levarem tudo porque meu bem mais precioso é um ornitorrinco de pelúcia. Não me apavoro em andar na rua à noite a não ser por conta do risco de chuva. E por mais que vá a bons restaurantes de vez em quando, devo ressaltar que nunca fui assaltado em nenhuma barraca de cachorro-quente… Acho que já deu para entender o recado. Não tenho medo da minha cidade porque, tenho certeza, ela não precisa ter medo de mim.
Portanto, a deputada comunista deveria reclamar com o colega de ideologia, não com a “direita”. Manuela não só tem carro, como tem um carro de luxo, importado, que custa caro. É a comunista mais “patricinha” que existe. Essa turma luta por “justiça social” e por “igualdade de renda” sempre acumulando mais e mais capital para si próprios.
Por fim, a deputada, que pertence ao jurássico PCdoB, escreveu, à guisa de conclusão:
Luto por uma cultura de paz, que respeite as diferenças e construa relações mais solidárias e generosas entre as pessoas. Que o abismo não olhe tanto para dentro de nós e que possam refletir sobre a violência que cometeram contra mim e minhas pessoas queridas em cada comentário desses. Lutar para mudar o Brasil, com amor no coração, vale mais a pena.
Ora, falar em cultura de paz embaixo de uma bandeira com a foice e o martelo? Deputada, a senhora não sabe que essa ideologia foi responsável pela morte direta de 100 milhões de inocentes, ao menos, e que deixou um rastro de miséria e escravidão por onde passou? Não sabe que a violência sempre foi uma arma defendida abertamente pelos líderes comunistas como legítima para a revolução?
Lutar para mudar o Brasil? Em que direção? A cubana? A venezuelana? Onde foi que o comunismo deu certo, deputada? Onde foi que o comunismo trouxe paz e amor? A pomba da paz, eternizada em litografia do comunista Picasso, era usada como propaganda por Stalin enquanto milhões eram mortos na União Soviética *. Paz?
Deputada Manuela D’Ávila, como você tem coragem de falar em paz e amor sendo do PCdoB, um partido que chegou ao ridículo de escrever uma carta de apoio ao ditador assassino da Coreia do Norte? Não tem vergonha na cara? Acha que todos são idiotas?
Não, deputada, eu não sou um desses que acha que você merece ser assaltada, ou sofrer coisa pior. Não vou agir como os próprios comunistas, seres odientos, movidos pelo rancor e o ressentimento. Apenas gostaria que uma pessoa com seu discurso ultrapassado, jurássico, hipócrita, não encontrasse mais eleitores ignorantes a ponto de crer nele. Mas o Brasil ainda está muito atrasado nesse quesito, infelizmente. A ponto de até comunistas terem votos por aqui.
E sobre aqueles que acham que você mereceu ter seu luxuoso carro roubado, vá reclamar com Sakamoto, que pode ser tudo, menos direitista.
* Picasso, em vida, recebeu duas vezes o Prêmio Lênin da Paz. Existe contradição maior do que essa, a de utilizar na mesma expressão duas coisas tão antagônicas como paz e Lênin? Algumas declarações do líder bolchevique, recuperadas após a abertura dos documentos soviéticos e reunidas em O livro negro do comunismo, demonstram o quão pacífico era esse senhor:
Toda a essência do nosso trabalho visa à transformação da guerra numa guerra civil. Não podemos prometer a guerra civil, nem decretá-la, mas temos o dever de trabalhar – o tempo que for necessário – nessa direção.
Enquanto não aplicarmos o terror sobre os especuladores – uma bala na cabeça, imediatamente – não chegaremos a lugar algum!
É chagada a hora de levarmos adiante uma batalha cruel e sem perdão contra esses pequenos proprietários, esses camponeses abastados.
Camaradas! O levante kulak nos cinco distritos de sua região deve ser esmagado sem piedade. É necessário dar o exemplo. Enforcar, e digo enforcar de modo que todos possam ver, não menos que cem kulaks.
Haja pacifismo!
Rodrigo Constantino

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Seguidores

Arquivo do blog

LIBERDADE COMO NOSSO DOM MAIOR

Ser livre para ir e vir!Pela liberdade de expressão.Pela humanidade contra os pregadores da escuridão que assolam nosso mundo moderno.Democracia verdadeira sempre,não aquela de fachada que persegue quem não compartilha de suas idéias.