quarta-feira, 2 de abril de 2014

CAIO BLINDER- Enquanto isso na China…


Enquanto isso na China…


Liu Xia no seu apartamento com um retrato dela e o marido Liu Xiaobo
Ao lado do marido Andrei Sakharov (o físico nuclear que se tornou dissidente e ganhou o Nobel da Paz), Yelena Bonner amargou banimento e exílio nos tempos do comunismo soviético. O modesto apartamento do casal em Moscou era um núcleo de resistência na luta pelos direitos humanos, uma luta aparentemente quixotesca, mas, que de certa forma, foi bem sucedida.
O nosso foco agora deve estar em um apartamento de um quarto em Pequim, onde mora a poetisa e pintora Liu Xia (sob regime de prisão domiciliar), mulher de Liu Xiaobo, Nobel da Paz, sentenciado em 2009 a uma pena de prisão de 11 anos pelo crime de “incitamento à subversão”, ou seja, advogar democracia na China.
Desmond Tutu, o Nobel da Paz, e Jared Genser, advogado de Xiaobo, lançaram uma campanha para denunciar as condições de vida e de saúde de Liu Xia. Ela pode visitar o marido uma vez por mês, mas está proibida de acessar a Internet ou usar telefone. Agentes de segurança estão postados na porta do seu pequeno apartamento e do edifício. No entanto, o regime chinês nega que ela esteja em prisão domiciliar e comunicou às Nações Unidas que Liu Xia “não está sob restrição legal’. O irmão dela acaba de ser sentenciado a 11 anos de prisão por supostos crimes econômicos.
Aos 51 anos, as condições físicas e mentais de Liu Xia se deterioram rapidamente. Ela sofreu um ataque do coração em janeiro, foi levada a um hospital e trazida de volta para casa no dia seguinte. Há informações de que Liu Xia sofre de depressão severa. No último dia 14, o dissidente Cao Shunli morreu sob custódia após uma extensa recusa de cuidados médicos.
Bonner e Sakharov no apartamento em Moscou
Bonner e Sakharov no apartamento em Moscou
Tutu e Genser recomendam uma campanha internacional pela libertação de uma mulher, cujo “crime” é ser casada com um dissidente que ganhou o Nobel da Paz (o regime considera Xiaobo um “criminoso comum” e não político.) Entre outras recomendações, todos os embaixadores estrangeiros na China deveriam visitar Liu Xia no seu apartamento. Afinal, as autoridades negam que ela esteja sob “restrição legal”.
Como lembram Tutu e Genser, existe uma explicação para o tratamento dispensado pela ditadura chinesa a Liu Xia: um governo poderoso que exige respeito no cenário global projeta fraqueza e insegurança. As lições de Andrei Sakharov e Yelena Bonner não morrem e nutrem as esperanças de dissidentes que desejam sair dos seus pequenos apartamentos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Seguidores

Arquivo do blog

LIBERDADE COMO NOSSO DOM MAIOR

Ser livre para ir e vir!Pela liberdade de expressão.Pela humanidade contra os pregadores da escuridão que assolam nosso mundo moderno.Democracia verdadeira sempre,não aquela de fachada que persegue quem não compartilha de suas idéias.