sábado, 19 de abril de 2014

Caio Blinder- Trocentas e trolhentas colunas ucranianas



Um mapa da crise
Um mapa da crise: onde fica a Ucrânia?
Um leitor aqui na coluna, João de Oliveira, comentou sobre as “trocentas e trolhentas” colunas publicadas sobre a Ucrânia. De fato, é isto mesmo. Quando um assunto desta magnitude abala o mundo, o Instituto Blinder & Blainder sofre tremores sísmicos. Será que ele precisa ampliar seus quadros e contratar algum Blinderukovich para assessorá-lo? A coluna tem suas obsessões e mergulha no seu mundo interior. Ela já passou temporadas na Primavera Árabe e nos Jogos Olímpicos de Inverno de Sochi.
Eu dei uma checada nos arquivos e constatei que antes da crise que explodiu em Kiev no final do ano passado, a Ucrânia fora simplesmente ignorada na coluna, exceto por um texto leve, de geopolítica futebolística em julho de 2012. Não escrevo este comentário para pedir desculpas pela obsessão. Pelo contrário, o objetivo é reforçá-la com convicção. Acho ótimo que exista um espaço como este na imprensa brasileira fanaticamente devotado à política internacional (e fico feliz em ter comparsas como o meu amigo Guga Chacra na mesma área, obcecado com o Clube Sírio-Libanês), onde a missão é explorar os temas e cuidar de alguns de forma extenuante.
O tratamento claro que nem sempre é o samba de uma nota só (do árabe doido, do americano doido, do russo doido, do ucraniano doido), mas nada errado em ficar grudado em um assunto por uns tempos, especialmente quando ele é game changer no tabuleiro global, como é o caso da Ucrânia. Muitos colunas são flagrantemente editorializadas (falo isto sem vergonha, pois Vladimir Putin me envergonha) e outras são mais realistas (resignação com o rumo dos acontecimentos).
Não pode faltar um compromisso com o debate. Por este motivo, trago pontos de vista divergentes e, ao contrário de outros espaços, não existe filtro ideológico para os leitores interessados em comentar ou fazer a sua agitprop. Nos últimos dias, foram críticas de alguns leitores com a obsessão ucraniana (samba do colunista doido).
E, finalmente, existe o já lendário “com fins educacionais”, não apenas como alerta ao leitor que atravessa as linhas vermelhas da coluna, mas pela mera obrigação (e com prazer) de oferecer subsídios aos profundamente interessados no tema desconhecido ou aos desejosos em aprofundar seu conhecimento a respeito. Serviço de utilidade pública. E de pensar que apenas 1 em seis americanos identifica a Ucrânia no mapa.
Rastreando informações sobre a Ucrânia, encontrei um site que é uma mina de informaç ões sobre tudo o que você não queria saber sobre o país e sua crise. É uma compilação de informações feita pela George Washington University, a Johnson’s Russia List. Ali tem assunto para trocentas e trolhentas colunas ucranianas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Seguidores

Arquivo do blog

LIBERDADE COMO NOSSO DOM MAIOR

Ser livre para ir e vir!Pela liberdade de expressão.Pela humanidade contra os pregadores da escuridão que assolam nosso mundo moderno.Democracia verdadeira sempre,não aquela de fachada que persegue quem não compartilha de suas idéias.