segunda-feira, 14 de abril de 2014

Governo do Paraná pede a prisão do diretor do Tesouro, o gaúcho Arno Augustin

Políbio Braga
A carta a seguir é do líder do governo do Paraná na Assembléia, Ademar Trajano. Vale a pena ler tudo. Trata-se de uma denúncia que vem fazendo há algum tempo o próprio governador Beto Richa. Quem acompanhou o governo Yeda Crusius no RS, lembra que Arno Augustin e Dilma fizeram o mesmo com ela, o que levou a uma "greve da tribuna", promovida pelo senador Pedro Simon, que só então conseguiu aval para o empréstimo de US$ 1,2 bi pedidos pelo Piratini na época. Leia tudo. A carta está no link, na íntegrra, publicada pelo site Diário do Poder, do jornalista Claudio Humberto:

Estive ontem (9) em Brasília, junto com uma comitiva de deputados federais e estaduais paranaenses, para questionar o secretário do Tesouro Nacional (STN), Arno Augustin, sobre o bloqueio criminoso de empréstimos ao Paraná. Todos puderam constatar que o desrespeito ao STF é um método do PT.

. O Paraná tem duas liminares do ministro Marco Aurélio Mello. Elas determinam que a STN libere um empréstimo de R$ 817 milhões do Proinveste para o estado. A segunda liminar ordena que a primeira seja cumprida, sob pena de multa diária de R$ 100 mil, além de sujeitar a desobediência a penas cabíveis nos “campos cível e penal”.

. Arno Augustin, confrontado por 14 deputados paranaenses, riu do STF e de suas decisões. Sugeriu que o Paraná batesse às portas do Supremo, de novo, e conseguisse mais uma liminar para então, quem sabe, ele se decida a liberar o dinheiro. 

. Pois o Paraná o atendeu e está pedindo agora ao STF a prisão imediata desse senhor.

CLIQUE AQUI para ler tudo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Seguidores

Arquivo do blog

LIBERDADE COMO NOSSO DOM MAIOR

Ser livre para ir e vir!Pela liberdade de expressão.Pela humanidade contra os pregadores da escuridão que assolam nosso mundo moderno.Democracia verdadeira sempre,não aquela de fachada que persegue quem não compartilha de suas idéias.