quinta-feira, 10 de abril de 2014

Tuma Júnior revela: Ministro reitera vontade de processar Tuma Júnior, que no seu livro denunciou: "Ministro Gilberto Carvalho me disse que PT desviava da prefeitura de Santo André e entregava o dinheiro para Zé Dirceu"

Políbio Braga
A tarde desta quarta-feira foi dia de muitos esclarecimentos na Comissão de Segurança Pública da Câmara, que convocou para depoimento o ministro Gilberto Carvalho. A oposição fustigou-o sobre as denúncias feitas pelo delegado Tuma Júnior. Ele foi encurralado, demonstrou enorme nervosismo e novamente ameaçou processar o autor de "Assassinato de Reputações".

No livro, Tuma Júnior declara, dirigindo-se ao ministro Gilberto Carvalho: "Seus amigos de Santo André não queriam matá-lo,mas  assumiram claramente esse risco. Planejaram e mandaram executar o seqüestro de Celso Daniel para lhe dar um susto (Celso, já convidado para coordenador da campanha vitoriosa de Lula, queria interromper o esquema).

O ministro Gilberto Carvalho é uma espécie de eminência parda da presidente Dilma Roussef. Ele foi colocado no cargo de secretário Geral por Lula. Deve lealdade somente a ele. Dilma, sua preposta, responde ao seu ministro.

. O delegado Romeu Tuma Júnior costuma chamá-lo de “viúva funcional” do ex-prefeito Celso Daniel.

. Na página 489 do seu livro “Assassinato de Reputações”, o delegado conta como foi sua última reunião com Gilberto Carvalho, pouco antes de “sair” do cargo de secretário nacional da Justiça em 2010, depois de uma armação orquestrada pelo próprio ministro contra ele.

. Foi uma conversa que emocionou muito os dois interlocutores, que choraram durante o evento, emocionados com a troca de confidências. Tuma Júnior abriu o coração sobre as intrigas palacianas que o levaram à demissão e Gilberto Carvalho fez a mesma coisa ao falar sobre o assassinato do ex-prefeito Celso Daniel.

. Acontece que Tuma Júnior foi o delegado que primeiro chegou à cena do crime, o local onde foi despejado o corpo do ex-prefeito, e abriu o inquérito sobre o crime, depois abortado pelo governo tucano de Geraldo Alckmin, que o retirou do caso.  Gilberto Carvalho tinha sido secretário, confidente e amigo de Celso Daniel, na época já indicado para ocupar as funções mais tarde exercidas por Antonio Palocci.

. O que ele ouviu do ministro:

- Veja, Tuma, o quanto fui injustiçado no caso do Celso Daniel. Quando saiu aquela boataria de que havia desvios na prefeitura, eu, na maior boa fé, procurei a família dele para levar um conforto. Fui dizer a eles que  todo o recurso que arrecadávamos eu levava para o Zé Dirceu, pois era para ajudar o Partido nas eleições.

. Na sua “candura”, o ministro Gilberto Carvalho confessou que o PT furtava dinheiro dos fornecedores e permissionários de ônibus da cidade e que ele mesmo levava o dinheiro para Zé Dirceu.

. Dias antes, quando já estava sendo fritado pelo governo e pelo PT, Tuma Júnior esteve com o ministro Gilberto Carvalho, que demonstrou “interesse” em saber quem tinha assassinado Celso Daniel. Na página 485, o delegado conta o que explicou ao ministro:

- A priori, seus amigos de Santo André não queriam matá-lo,mas  assumiram claramente esse risco. Planejaram e mandaram executar o seqüestro de Celso Daniel para lhe dar um susto (Celso, já convidado para coordenador da campanha vitoriosa de Lula, queria interromper o esquema). No caminho, ocorre um acidente de percurso e acabam matando o prefeito.


. Foi assim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Seguidores

Arquivo do blog

LIBERDADE COMO NOSSO DOM MAIOR

Ser livre para ir e vir!Pela liberdade de expressão.Pela humanidade contra os pregadores da escuridão que assolam nosso mundo moderno.Democracia verdadeira sempre,não aquela de fachada que persegue quem não compartilha de suas idéias.