terça-feira, 20 de maio de 2014

Hospitais de Caracas suspendem cirurgias por falta d’água

A crônica falta de água que atinge Caracas está prejudicando o funcionamento dos hospitais da cidade, reporta o jornal El Universal nesta terça-feira. No último sábado, uma série de intervenções cirúrgicas na Maternidade Concepción Palacios foram suspensas pela falta de água, disse Moraima Hernández, médica da instituição. Na Clínica da Universidade, o médico José Manuel Olivares disse que entre terça e quinta-feira da semana passada o funcionamento normal do centro de saúde foi afetado e muitos procedimentos foram suspensos.

 No Hospital Vargas, durante a semana passada, enfermeiras tiveram de lavar as mãos com soro para atender os pacientes. Os parentes dos pacientes passaram a comprar garrafões de cinco litros de água para levar para os enfermos e para a equipe médica. Funcionários do hospital encheram toneis para garantir os serviços de limpeza, mas indicaram que há risco para a saúde quando o serviço de limpeza é interrompido pelo desabastecimento de água.

A enfermeira Karina Berroteran enfatiza que o risco de infecção é latente. “Para tomar banho, esperamos a retomada do serviço”, disse o paciente Eunises Mijares. Giovanni Provence, especialista em traumatologia da instituição, disse ter limitações para colocar gesso e avaliar lesões dos pacientes por meio do raio-X. Ele explicou que as máquinas necessitam de água para fazer as imagens. “Há um desperdício de insumos, porque estamos usando soro para as medidas de assepsia", lamentou.

O médico advertiu que três pacientes foram hospitalizados com suspeita de osteomielite, uma infecção grave causada por má higiene na hora de esterilizar materiais como pregos e parafusos que são usados nos procedimentos cirúrgicos ortopédicos. Num hospital no bairro de Lídice, na zona norte de Caracas, até ontem os pacientes foram afetados pela falta de água. A médica Rosa Torrealba disse que a água voltou, mas tem baixa pressão e os andares superiores do hospital são servidos de forma irregular. O governo da Venezuela anunciou no início de maio um plano de racionamento em Caracas que deixa parte das seis milhões de pessoas sem acesso à água por até três dias por semana.

O plano de emergência é necessário para contornar a severa seca que o país enfrenta, disseram as autoridades. Carlos Ocariz, prefeito do distrito de Sucre, reclamou que nenhum reservatório foi construído durante os 15 anos de governo do partido do presidente Maduro. Ele também alertou que um plano de economia de água devia ter sido anunciado meses atrás. "Nós não precisávamos esperar as coisas chegarem a esse ponto para começar a agir", escreveu, em comunicado.

Leia mais...http://veja.abril.com.br/noticia/internacional/hospitais-da-venezuela-suspendem-cirurgias-por-falta-dagua

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Seguidores

Arquivo do blog

LIBERDADE COMO NOSSO DOM MAIOR

Ser livre para ir e vir!Pela liberdade de expressão.Pela humanidade contra os pregadores da escuridão que assolam nosso mundo moderno.Democracia verdadeira sempre,não aquela de fachada que persegue quem não compartilha de suas idéias.