domingo, 2 de fevereiro de 2014

Alexandre Garcia- OS PREPARADOS



A presidente garantiu, na Suíça, onde está a sede da FIFA, que o Brasil está preparado para a Copa. No mesmo dia, passageiros da Gol, para se libertarem do confinamento por três horas dentro do avião, eram fotografados sobre a asa, depois de abrirem a porta de emergência, no Galeão. Em Campinas, passageiros da TAM ficaram seis horas dentro do avião porque não há escadas suficientes para embarque e desembarque. No Rio, os trens de subúrbio pararam, porque uma composição descarrilara. Onde há metrô, volta e meia há enguiços e quase todos os dias há ônibus tomado pelo fogo, como protesto. Sem contar os congestionamentos que atrasam a vida de todos, por toda parte. O trem-bala prometido, nem para a Olimpíada. E pensar que tivemos sete anos para nos preparar.

Fazem o movimento #nãovaitercopa, mas é uma inutilidade anárquica. Porque já se gastou muito com os estádios; agora, pelo menos, é preciso desfrutar dos erros, digamos assim. Ficamos calados quando deveríamos ter gritado: foi quando o então presidente Lula fez tudo para trazer a Copa, e conseguiu, a despeito da necessidade de segurança pública, educação, saúde, transporte público. Uma irresponsabilidade, optar pelo circo. Mas a nação não chiou. Deixou acontecer, porque não está acostumada a exigir participação. Agora, talvez com culpa no inconsciente, querem deter a Copa. E saem para as ruas não como vândalos - eles saquearam Roma de cara limpa -, mas como arruaceiros mascarados, a atear fogo em fusquinha de serralheiro, com mulher e criança dentro; a invadir shopping, a quebrar vitrina. A violência é para espantar os democratas, os verdadeiros manifestantes, que exigem padrão FIFA para os serviços públicos.

Vejo muita gente torcendo para a Copa ser um fiasco, tanto para o governo quanto para a equipe brasileira. Aí, cada um com suas conclusões. A melhor seleção de todos os tempos, a tricampeã no México, ajudou a dar popularidade ao general Médici, a ponto de ser o único presidente do país a ser aplaudido quando entrava no Maracanã. Os políticos sempre tratam de desfrutar das sobras das glórias dos atletas brasileiros. Não critico quem torce contra. Sei que a intenção desses é a esperança de que um dia deixemos de lado o circo para nos dedicarmos a exigir solução para as péssimas condições de segurança, saúde, educação, transporte público, organização urbana, planejamento, que infernizam a nossa vida. Com copas e futebol, somos alegres infelizes.

Se o investimento do governo brasileiro em Cuba é bom, por que tanto sigilo?

O jornalista Duda Teixeira, da Veja, tocou na ferida com sua matéria na revista desta semana sobre o porto de Mariel em Cuba, financiado por nosso governo petista. Os militantes pagos pelo partido saíram em defesa essa semana da racionalidade econômica da decisão. Sei. Se foi tão bom para o Brasil, por que tudo está tão envolto em sigilo?
Tendo o Brasil enorme carência de portos, uma infraestrutura capenga, um governo que reduz os investimentos para expandir gastos, um PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) que é um fracasso na prática, parece muito estranho o governo celebrar esse investimento feito em Cuba.
Ninguém pode ser acusado de paranoico se levantar a suspeita de que foi simples transferência de recursos para a ditadura camarada e agonizante, agora que os petrodólares venezuelanos minguaram, e que no caminho possa ter rolado um toma-lá-dá-cá para ajudar no financiamento da campanha eleitoral do PT este ano. Como diz Duda:
duda teixeira
Tudo muito estranho, muito suspeito. Principalmente quando vemos a reação de sites e blogs que todos sabem servir ao PT de forma escancarada, tentando justificar que o investimento é a melhor coisa do mundo para nossa economia. Piada de mau gosto, que aumenta ainda mais as suspeitas. Como diz Duda, esse investimento está mais para um PAC mesmo: Programa de Amparo a Cuba!
Rodrigo Constantino

Rodrigo Constantino- INCOERÊNCIAS


Incoerências…

Não me importo com as críticas, especialmente aquelas construtivas e educadas. Fazem parte do debate civilizado, e também da nossa possibilidade de aprendizado. Podem ver que publico todas no meu blog (não confundir com ofensas pessoais ou rótulos depreciativos). Mas tem uma coisa que, confesso, não tenho muita paciência para aturar: a incoerência escancarada.
Vejam que vários vieram aqui ridicularizar minha estupidez e falta de capacidade de interpretação de texto por conta do que escrevi sobre o ator que quis perdoar o ladrão para receber sua bicicleta de volta. Amigos e simpatizantes do ator chegaram aqui cheios de ódio e revolta para falar de minha burrice e meu ódio no coração.
O que eles apontam é minha suposta incapacidade de capturar a ironia (logo eu, que criei tantas ONGs fictícias em artigos no GLOBO e no blog para defender bizarrices!). Parênteses: no próprio texto, deixo em aberto a possibilidade de ser, sim, uma ironia, apesar de duvidar dessa tese. Escrevi no meu post-scriptum:
PS: Há sempre a possibilidade de ter sido uma carta irônica, claro, ou de alguém muito desesperado para conseguir a “bike” de volta a ponto de jogar a dignidade no lixo. Mas sendo escrita por ator, a chance maior é de ele ter falado sério mesmo, o que é inacreditável.
Mas deixando isso de lado, eis o espantoso da coisa: em vários casos, os mesmos que vieram acusar minha precária capacidade de interpretação afirmaram que sou um reacionário por não compreender o perdão e desejar todos os bandidos punidos e presos (mea culpa: tenho essa estranha mania de achar que o crime deve ser punido de acordo com as leis). Vejam só que coisa impressionante!
Ou seja, eu não entendi que o texto do ator era uma ironia, mas sou um monstro por não aceitar seu perdão ao ladrão de bicicleta. Caramba! Podem se decidir, se é ou não uma ironia? O rapaz quer ou não perdoar o ladrão se sua bicicleta reaparecer? Essas incoerências é que matam. Como diria Félix, eu devo ter dançado pagode com a Rainha de Sabá para merecer isso!
Tem mais. Na badalada crítica que fiz ao último capítulo da novela “Amor à vida”, teve vários “liberais” que invadiram meu blog para me acusar de antiliberal. Onde já se viu criticar novela, beijo gay e canalha assassino enaltecido como herói após uma redenção patética? Seria um reacionário novamente, por não compreender que basta usar o controle remoto quem não deseja ver a novela (mesmo?).
Existe algo mais contraditório do que gente vindo no meu blog falar que não sou liberal por emitirminha opinião sobre uma novela, alegando que o liberal de verdade diria que basta usar o controle remoto? Dá vontade de responder às antas e quadrúpedes em geral, que basta usar o “controle remoto” e não ler o meu comentário no meu blog, não é mesmo? Alguns “liberais” me cansam. Devo ter tocado bumbo no Sermão da Montanha para merecer isso!
Errar é humano. Cometo meus erros, e sempre que percebo, reconheço. Não vejo problema nisso. Mas se tem uma coisa que me tira do sério é essa incoerência absurda, ululante, escancarada de pessoas incapazes de perceber que caem em contradição no instante em que escrevem suas baboseiras. Sou forçado a recordar do prognóstico do saudoso Roberto Campos: “A burrice no Brasil tem um passado glorioso e um futuro promissor”.
Rodrigo Constantino

Seguidores

Arquivo do blog

LIBERDADE COMO NOSSO DOM MAIOR

Ser livre para ir e vir!Pela liberdade de expressão.Pela humanidade contra os pregadores da escuridão que assolam nosso mundo moderno.Democracia verdadeira sempre,não aquela de fachada que persegue quem não compartilha de suas idéias.